|

|

Seguro-Desemprego Empregado Doméstico

Seguro-Desemprego Empregado Doméstico

por | 22/06/19 | Demissão, Seguro-Desemprego | 76 Comentários

O Seguro-Desemprego Empregado Doméstico foi instituído pela Lei n.º 10.208 de 23 de março de 2001, tem por finalidade prover assistência financeira temporária ao empregado doméstico dispensado sem justa causa.

O valor de cada parcela é de um salário mínimo, sendo que cada segurado recebe no máximo três parcelas.

 

O que é o Seguro-Desemprego:

É um auxílio temporário concedido ao empregado doméstico desempregado, inscrito no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS, que tenha sido dispensado sem justa causa.

 

Quem tem direito:

O empregado doméstico dispensado sem justa causa, que:

– Comprove trabalho como empregado doméstico pelo menos 15 meses no últimos 24 meses.

– Esteja inscrito como Empregado Doméstico da Previdência Social e possua, no mínimo 15 contribuições ao INSS.

– Não esteja recebendo nenhum benefício da Previdência Social, exceto auxílio-acidente e pensão por morte.

– Não possua renda própria para seu sustento e de sua família.

 

cta 02

 

Qual o valor do benefício:

O valor máximo de cada parcela é de um salário mínimo.

 

Como o Empregado Doméstico pode receber o Seguro-Desemprego:

Apresentar requerimento em uma das unidades de atendimento do Ministério do Trabalho e Emprego ou aos órgãos autorizados, no prazo de 7 a 90 dias contados da data da dispensa.

Deve apresentar;

  • Carteira de trabalho;
  • Termo de rescisão do contrato de trabalho atestando a dispensa sem justa causa;
  • Declaração de que não recebe benefício de prestação continuada – exceto auxílio-acidente e pensão por morte
  • Declaração de que não tem renda suficiente para manter a família.

Documentação necessária:

– Carteira de Identidade ou CNH (modelo novo) ou CTPS (modelo novo) ou Certidão de Nascimento com protocolo da identidade.

– Comprovante de Inscrição de Contribuinte Individual ou cartão do PIS-PASEP.

– Termo de rescisão de contrato de trabalho atestando a dispensa sem justa causa.

– Comprovantes de recolhimentos das contribuições previdenciárias e do FGTS.

Total de Parcelas:

O empregado doméstico pode receber o benefício por um período máximo de três meses, de forma contínua ou alternada, a cada período aquisitivo de 16 meses.

Sua opinião é sempre muito importante para o nosso trabalho.

Ficou com alguma dúvida sobre a Seguro-Desemprego? Deixe seu comentário abaixo, responderemos todas as dúvidas.

Conhece alguém que pode precisar dessa informação? Clique nos botões abaixo e compartilhe com seus amigos.


nolar esocial

tela mostrando o aplicativo nolar

O NOLAR está integrado ao eSocial

Resolva toda burocracia de forma simples e fácil.

EXPERIMENTE GRÁTIS

 

76 Comentários

  1. Muito boa, sucinta e direta as explicações sobre o seguro desemprego do trabalhador doméstico

    Responder
  2. Como preencher o formulario do seguro desemprego e onde obter o mesmo?

    Responder
    • Olá Candida,

      As declarações de que tratam os incisos da Legislação vigente, serão firmadas pelo trabalhador no documento de Requerimento do Seguro-Desemprego do Empregado Doméstico – RSDED fornecido pelo MTE na unidade de atendimento.

      Responder
  3. Seu site é excelente!! informações precisas, fáceis de entender e atualizadas!! Parabéns!!!

    Responder
  4. Bom dia,

    Muito boa a matéria, mas me deixou uma dúvida quando diz que precisa apresentar o REQUERIMENTO ao MTE, existe requerimento de seguro desemprego para o domestico ? onde teremos acesso ao requerimento?

    Responder
    • Olá Geórgia,

      As declarações de que tratam os incisos da Legislação vigente, serão firmadas pelo trabalhador no documento de Requerimento do Seguro-Desemprego do Empregado Doméstico – RSDED fornecido pelo MTE na unidade de atendimento.

      Responder
  5. Muito boa a explicação, até porque o doméstico tem que ter 15 meses de carteira assinada, e não apenas 12. Uma coisa é mostrar a lei e outra é so ter a explicação, assim ficamos bem mais resguardados da veracidade da informação.

    Responder
  6. muitissimo esclarecedor.

    Mas é preciso ter o certificado digital o empregador pra ter acesso ao sistema do seguro e fazer a movimentação pra liberar o FGTS do empregado?

    Responder
    • Olá Francisca,

      Naõ, para saque do FGTS o trabalhador deve comparecer a uma agência da CAIXA onde se identifica como trabalhador doméstico e apresentar o Termo de Quitação da Rescisão de Contrato de Trabalho (TQRCT), a Carteira de Trabalho e documento de identificação pessoal. O TQRCT é gerado no portal eSocial.

      É importante destacar que o trabalhador doméstico é dispensado da apresentação da “chave de desligamento” e da “homologação da rescisão”. Na hipótese da agência da CAIXA solicitar estes documentos o trabalhador pode solicitar que a unidade entre em contato com a GIFUG (Gerência de Filial do FGTS) para confirmar os procedimentos e obter orientações específicas.

      Persistindo a dificuldade para realização do saque deve ser registrada ocorrência no endereço suporte@esocial.gov.br informando qual a agência onde foi atendido e telefone com DDD do empregador ou do trabalhador para repasse das orientações específicas.

      Responder
  7. Muito bom, esclarece dúvidas com bem pontuais e de fácil entendimento.

    Responder
  8. Caso seja demitida em 01/10/2016, Minha empregada doméstica tem direito a seguro desemprego ?
    Admissão 01/01/2015 pagando INSS (no carnê), a partir de 01/10/2015 pagando DAE (e-social) até a presente data.

    Responder
    • Olá Heribaldo,

      Sim, a empregada estará habilitada para solicitar o benefício.

      Responder
  9. Ótimo texto. Claro, simples e esclarecedor. Parabéns!

    Responder
  10. Pago o fgts do meu empregado desde que se tornou obrigatório o pagamento do msm. Estou demitindo ele esse mês, ele já está de aviso prévio desde o dia 01/08. Ele tem direito ao seguro desemprego?

    Responder
    • Olá Gisele,

      Não depende diretamente do FGTS, pois esse passou a ser obrigatório em out/2015.

      Para ter direito ao seguro-desemprego, o empregado deve ser dispensado sem justa causa e comprovar;

      I – ter sido empregado doméstico, por pelo menos quinze meses nos últimos vinte e quatro meses que antecedem à data da dispensa que deu origem ao requerimento do Seguro-Desemprego;

      II – não estar em gozo de qualquer benefício previdenciário de prestação continuada da previdência social, exceto auxílio-acidente e pensão por morte;

      III – não possuir renda própria de qualquer natureza, suficiente à sua manutenção e de sua família.

      Responder
  11. Eu nao guardei todos os pagamentos de inss da minha empregada! Como proceder?? Pode pegar alguma declaracao no inss?!

    Responder
    • Olá Raquel,

      Entre em contato com a Previdência Social (tel. 135) e solicite informações de como obter um extrato de informações previdenciárias do contribuinte, para verificar as contribuições realizadas. Tenha em mãos o NIT/PIS do contribuinte.

      Responder
  12. Bom dia
    O trabalho de vocês é excelente, as informações me ajudam muito

    Responder
  13. As informações foram excelentes para esclarecer as dúvidas que sempre podem surgir. Uma dúvida: Para a empregada não perder TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO, para futura aposentadoria, pode de imediato passar a pagar o INSS como autônoma durante o período de seguro desemprego?

    Responder
    • Olá Adolfo,

      Sim, o recolhimento poderá ser efetuado como contribuinte individual.

      Responder
  14. Bom dia!
    Muito boa matéria! Simples, porém direta e esclarecedora.
    Grato.
    Ricardo.

    Responder
  15. A cuidadora da minha mãe trabalhou com ela 11 meses. Já tinha trabalhado como cuidadora antes e somando todo o tempo registrada tinha 15 meses de registro nos últimos 24 meses. Só que não contínuos.
    Qdo foi pedir o seguro desemprego não consideraram o registro anterior, não sei se por erro, e negaram o recebimento do seguro pra ela.
    Foi a primeira vez que solicitou o benefício até então. Saiu dos dois empregos por causa da morte dos idosos que cuidava. Está enquadrada como empregada doméstica.
    Tem como recorrer pra receber o seguro desemprego?

    Responder
    • Olá Marcia,

      O requerente que não satisfizer os requisitos legais e os estabelecidos nesta Resolução, terá o pedido de habilitação indeferido.

      O agente público ou agente credenciado informará ao requerente que este poderá interpor recurso administrativo da decisão de indeferimento.

      Responder
  16. A equipe NOLAR, sempre colaborando de forma muito positiva para um melhor entendimento das leis trabalhistas que envolve a classe das domésticas. Parabéns!!!

    Responder
  17. Excelente matéria!

    Responder
  18. Seguro desemprego doméstico:
    Das exigências para ter o direito ao seguro desemprego, no caso aqui, doméstico, São:
    Ter trabalhado, com a carteira assinada e recolhido o INSS, pelo menos 15 meses dos últimos 24 meses;
    Tenha sido demitido sem justa causa;
    Não esteja recebendo nenhum benefício da Previdência Social, exceto auxílio-acidente e pensão por morte;
    Não possua renda própria para seu sustento e de sua família.
    A dúvida:
    Se, para ter o direito ao seguro desemprego, é exigido que não tenha renda própria para o sustento de sua família e, tendo uma pensão por morte ou um auxílio-acidente. Não é uma renda própria?
    Como se classifica então?

    Responder
    • Olá Carlos,

      O pagamento de benefício pelo INSS não é uma renda fixa, mas temporária e não dedutível para a contribuição previdenciária.

      Responder
  19. Porque é salário mínimo e não o salário que Costa na carteira? Uma vez que é recolhido sobre o salario bruto, sobre todo o valor na carteira, acho injustos!

    Responder
    • Olá Roselane,

      Todos os benefício pagos pelo INSS sempre são baseados no piso nacional por ser um órgão de administração Federal.

      Responder
    • Olá Maria,

      Solicitações de alteração de e-mails, favor enviar para suporte@nolar.com.br

      Responder
  20. •Declaração de que não recebe benefício de prestação continuada – exceto auxílio-acidente e pensão por morte
    •Declaração de que não tem renda suficiente para manter a família.

    descupa,
    essa documentação acima, eu consigo como essas declarações

    Responder
    • Olá Vania,

      As declarações de que tratam a Legislação vigente, serão firmadas pelo trabalhador no documento de Requerimento do Seguro-Desemprego do Empregado Doméstico – RSDED fornecido pelo MTE na unidade de atendimento.

      Responder
  21. Minha dúvida era se tinha que ter também 15 meses de recolhimento de contribuições do FGTS. Mas entendi pela matéria que só são necessários 15 recolhimentos do INSS. Obrigada

    Responder
  22. Isso serve para empregada doméstica de casa de família?? Aguardo uma resposta!!!!

    Responder
    • Olá Renata,

      Sim, para empregados domésticos.

      Responder
  23. Foi ótimo esclarecer do tempo de carteira assinada para ter direito ao seguro desemprego, eu imaginava que fosse um ano. Valeu muito. Obrigada

    Responder
  24. Parabéns pelo trabalho, muito esclarecedor !

    Responder
  25. Adorei as explicações! Dispensei uma empregada e não sabia explicá-la os detalhes para o recebimento do seguro desemprego!
    Agora ficou fácil!

    Responder
  26. MARAVILHOSA E NECESSÁRIA ESTA ASSISTÊNCIA QUE VOCÊS DÃO AO EMPREGADOR. O PESSOAL RESPONSÁVEL NOS CINCO ÓRGÃOS GESTORES DO GOVERNO ESTÁ MUITO MAL TREINADO. SHOW DE BOLA!

    Responder
  27. Rendo minhas homenagens á equipe NOLAR que de forma simples, direta e objetiva colabora em apresentar um melhor entendimento das leis trabalhistas direcionada à classe dos empregados domésticos. Grato.

    Responder
  28. Muito bom seu esclarecimento foi muito útil para mim.obrigada

    Responder
  29. Boa resposta, sussinta e clara

    Responder
  30. Uma síntese de fácil leitura e entendimento. Ótimo!

    Responder
  31. Muito boa esta informação. Obrigada.

    Responder
  32. Informação muito boa.

    Responder
  33. Parabéns á Equipe Nolar pelos ótimos esclarecimentos prestados

    Responder
  34. Por pedido de dispensa a doméstica tem direito ao seguro desemprego?

    Responder
    • Olá João,

      Não, somente quando o empregado doméstico for dispensado sem justa causa e atenda aos itens abaixo:

      – Comprove trabalho como empregado doméstico pelo menos 15 meses no últimos 24 meses.

      – Esteja inscrito como Empregado Doméstico da Previdência Social e possua, no mínimo 15 contribuições ao INSS.

      – Não esteja recebendo nenhum benefício da Previdência Social, exceto auxílio-acidente e pensão por morte.

      – Não possua renda própria para seu sustento e de sua família.

      Responder
  35. Boa tarde,
    solicito informar como obter o Seguro Desemprego( formulário) para Empregado Domestico, cuja demissão será efetuada em 10/09.O empregado tem mais de 15 meses.
    Foi feito recolhimento em GFIP e E-social.

    Responder
    • Olá Juscelino,

      Para requerer sua habilitação no Programa do Seguro Desemprego, o empregado doméstico deverá comparecer perante uma das Unidades da rede de atendimento vinculadas ou autorizadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego – MTE munido dos seguintes documentos:

      I – Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS, na qual deverão constar a anotação do contrato de trabalho doméstico e a data de admissão e a data da dispensa, de modo a comprovar o vínculo empregatício doméstico, durante pelo menos 15 (quinze) meses nos últimos 24 (vinte e quatro) meses;

      II – Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho – TRCT atestando a dispensa sem justa causa;

      III – declaração de que não está em gozo de benefício de prestação continuada da previdência social, exceto auxílio-acidente e pensão por morte; e

      IV – declaração de que não possui renda própria de qualquer natureza suficiente à sua manutenção e de sua família.

      § 1º As declarações de que tratam os itens III e IV, serão firmadas pelo trabalhador no documento de Requerimento do Seguro-Desemprego do Empregado Doméstico – RSDED fornecido pelo MTE na unidade de atendimento.

      Responder
  36. Excelentes esclarecimentos , de forma clara, suscina e direta.
    Parabéns.

    Responder
  37. Bom dia

    Como faço para tirar o da funcionária doméstica, sem precisar do certificado digital? e a mesma sendo demitida como faço para gerar a grrf ou não precisa e o programa já calcula automaticamente o documento com a multa.

    Responder
  38. IMPORTANTE: De acordo com om Ministério do Trabalho, além de comprovar 15 meses de trabalho como doméstica, mínimo de 15 contribuições para o INSS, é necessário comprovar mínimo de 15 contribuições para o FGTS.

    Recentemente, uma amiga da família, domestica demitida após 15 anos de registro, teve o seguro desemprego negado por nâo ter os 15 meses de recolhimento ao FGTS, que não era obrigatório até outubro de 2015.

    O seguro desemprego foi negado mesmo após apresentação de recurso junto ao Ministério do Trabalho, que insistiu na necessidade dos 15 recolhimentos do FGTS.

    Responder
  39. Olá

    Empregada trabalhou 12 (doze) meses.
    É obrigatório ser homologado em sindicato ?

    Responder
    • Olá Solange,

      Segundo o MTE, são dispensadas a assistência e a homologação à rescisão contratual do empregado doméstico, mesmo no caso do optante, para fins de recebimento do FGTS e do seguro-desemprego.

      Responder
  40. Quero parabenizar equipe que executa as informações divulgado pelo NOLAR,
    Com informações precisa e exata com texto de fácil compreensão.

    Responder
  41. Acompanho todas as informações da NOLAR, são muito boas e tem me ajudado bastante. Obrigada. Vocês são super atenciosos e nos ajudam de fato.

    Responder
  42. Parabéns à Equipe NO LAR, sempre esclarecendo de forma simples e clara as normas para nós associados!!!

    Responder
  43. Bom dia,
    Ao procurar uma agência do Ministério do Trabalho, também tive a mesma informação de Augusto Tohru Nishizawa de que é necessário comprovar os 15 depósitos de FGTS, pois o sistema não aceita e bloqueia o benefício. Vi uma reportagem na internet de que o sistema não teria sido devidamente atualizado e as domésticas não estavam recebendo o seguro desemprego.

    Responder
  44. Excelente informações do seu site!

    Responder
  45. Muito boas as respostas. Parabéns

    Responder
  46. Bom dia Rogério. Tenho uma dúvida: Com relação a rescisão do doméstico, tenho ainda que gerar a guia GRRF no portal da caixa? ou a guia DAE hoje já contempla a multa dos 40% da rescisão de contrato de trabalho?

    Responder
    • Olá Ednardo,

      A guia DAE já contempla o FGTS: Reserva Indenizatória da perda de emprego – 3,2% do salário do trabalhador (depósito compulsório).

      Responder
  47. Boa Tarde,

    Na carteira de Trabalho minha empregada está registrada e sou assino com empregadora, e nos recibos, no entanto quem sempre pagou o Inss, salário e está registrada no e.social em nome do meu marido. Da mesma forma ele sempre abateu no IRPF os valores referentes ao salário dela. Eu preciso mudar os dados na carteira de trabalho da nossa empregada para o meu marido como empregadora?
    Ela já trabalha na nossa cada desde 2012, sempre pagando todos os direitos e recolhendo o INSS, porém só a partir de outubro de 2015 passei a recolher o FGTS, pelo e.social, se eu dispensá-la a partir de dezembro de 2016 ela terá direito ao seguro desemprego?

    Grata,

    Jane Oliveira

    Responder
    • Olá Jane,

      Não há problemas no formato da contratação e dedução na declaração de IR anual, mas lembre-se que a empregada deverá ser sempre registrada na declaração do seu marido.

      Responder
  48. Por favor, explique a forma como é pago o seguro desemprego, pois não entendi quando informa ” é pago em no máximo 3 (três parcelas), no valor de um salário mínimo, de forma continuada ou alternada, a cada período aquisitivo de 16 meses.

    Responder
    • Olá Mauro,

      O trabalhador poderá receber ATÉ 03 parcelas continuadamente ou alternadamente (meses altermados) em um período de 16 meses, conforme o processo rescisório.

      Responder
  49. Bacana.

    Responder
  50. otimos esclarecimentos

    Responder
  51. Questionamento: A RAIS torna-se obrigatória para o empregador doméstico?

    Responder
    • Olá José,

      Não, o empregador doméstico está isento de informar a RAIS por norma da RFB.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This

TERMOS E CONDIÇÕES DE USO DO NOLAR

1. ACEITAÇÃO DOS TERMOS E CONDIÇÕES DO SERVIÇO

A IRION - Soluções em Internet LTDA ("Proprietária e desenvolvedora do NOLAR") fornece a você ("Usuário"), diversos Serviços, sujeitos aos Termos abaixo, que podem ser modificados de tempos em tempos pela IRION sem prévio aviso.

Os Termos e condições do Serviço NOLAR, que passaremos a referir como os "Termos do Serviço", poderão ser atualizados ou modificados de tempos em tempos pela IRION e estarão sujeitos ao disposto nas cláusulas abaixo. Constituem parte integrante dos Termos do Serviço: os termos e condições contidos neste documento, a Política de Privacidade do NOLAR e quaisquer regras ou políticas vigentes que possam ser publicadas, de tempos em tempos, pela IRION , aplicáveis a cada um dos Serviços (ou a qualquer outro serviço que venha a ser fornecido pelo NOLAR no futuro). Ao clicar em "Aceito os termos de uso" o Usuário indica que leu e concordou, mesmo que tacitamente, com a versão mais recente dos Termos do Serviço e vinculará automaticamente o Usuário às regras ali contidas.

2. DESCRIÇÃO DO SERVIÇO

Atualmente, o NOLAR fornece aos Usuários previamente cadastrados, acesso a uma variedade de serviços virtuais "on-line", com vistas a promover e desenvolver única e exclusivamente atividades de controle e contratação de empregados domésticos. Nolar é a denominação deste site e de todas as páginas que o constituem, ativadas e colocadas, via internet, à disposição do acesso e interação do público na rede mundial de computadores, World Wide Web, pelo endereço http://app.nolar.com.br , de propriedade e desenvolvido pela IRION - Soluções em Internet LTDA, empresa brasileira devidamente inscrita no CNPJ sob o n. 013.609.272/0001-35. O Usuário está ciente e concorda que o Serviço é fornecido na forma como está disponibilizado e que a IRION não é responsável pela impossibilidade de qualquer comunicação ou acesso do Usuário à "World Wide Web". De forma a bem utilizar o Serviço, o Usuário deve obter, por si, acesso seja diretamente ou através de dispositivos que possam disponibilizar o conteúdo existente na Web, pagando os valores cobrados por seu provedor de acesso, se este for o caso, e providenciando todo o equipamento necessário para efetuar sua conexão à World Wide Web, incluindo computador, modem ou outro dispositivo de acesso.

O Serviço é fornecido apenas conforme e quando estiver disponível.

Grande parte do serviço é disponíbilizado gratuitamente para novos usuários. No entanto, será exclusivo "apenas aos assintantes do plano anual", a visualização e impressão dos recibos e guias de Férias, Décimo Terceiro Salário e Rescisões.

O NOLAR envidará os melhores esforços para assegurar que o Serviço funcione da melhor maneira possível. No entanto, considerando a própria natureza do Serviço, as garantias fornecidas pelo NOLAR são limitadas, conforme descritas na cláusula 9, abaixo. O Usuário entende e concorda que o NOLAR fornecerá uma assistência técnica por e-mail aos assinantes pagantes, através do link "contato" e após o usuário acessar com o seu login e senha. Não será disponibilizado suporte técnico por telefone ou outros meios que não sejam via área de contato após o usuário acessar com o seu login e senha. A utilização do Serviço será de inteiro risco do Usuário, sendo que o NOLAR apenas oferece o suporte técnico com o objetivo de orientar, não cabendo qualquer responsabilidade ou dano que vier a causar no sistema de cada usuário e processos trabalhistas decorrentes.

O NOLAR se reserva o direito de cancelar cadastros sem direito a reembolso de usuários que não sigam as regras descritas neste termo ou que se utilizem de qualquer meio desonesto de acesso e operação do sistema e uso de linguagem imprópria.

O NOLAR se isenta de qualquer culpa sobre causas trabalhistas de seus usuários perante a justiça federal e estadual.

Para garantir o bom funcionamento dos serviços, o NOLAR reserva-se no direito de alterar quaisquer regras de acesso, layout e cálculos, que são exclusivamente virtuais, em busca de um melhor equilíbrio, aprimorando o acesso, caso seja necessário.

3. OBRIGAÇÕES DE REGISTRO DO USUÁRIO

Em consideração à utilização do Serviço, o Usuário concorda em:

(a) fornecer informações verdadeiras, exatas e atuais através formulário específico ("Informações de Cadastro") para acesso ao Serviço, como um e-mail válido e senha, cuja combinação é única entre todos os demais usuários virtuais do site (b) conservar e atualizar imediatamente tais informações de Registro para mantê-las verdadeiras, exatas e atuais. (c) não criar informações de conotação inadequada, através de linguagem abusiva, como palavrões e afirmativas obscenas, preconceituosas, desrespeitosas ou ofensivas.

4. POLITICA DE PRIVACIDADE DO NOLAR

O NOLAR possui uma política rígida sobre a questão da privacidade on-line. As Informações de Cadastro e algumas outras informações sobre o Usuário estão sujeitas somente ao uso do serviço do atendimento do NOLAR, a publicação de opiniões e testemunhos no site e ao uso do próprio Usuário.

5. CONTA DO USUÁRIO, SENHA E SEGURANÇA

No processo de cadastro, o Usuário deverá informar um email e senha, passando a ser integralmente responsável por manter a confidencialidade da senha e desta identificação bem como por todas as atividades que ocorram sob sua senha e/ou identificação. O Usuário concorda em:

(a) notificar imediatamente o NOLAR sobre qualquer uso não autorizado da sua senha ou conta ou qualquer outra quebra de segurança de que tome conhecimento;

(b) sair de sua conta de Usuário ao final de cada sessão e assegurar que esta não seja acessada por terceiros não autorizados.O NOLAR não será responsável por qualquer perda ou dano decorrente do descumprimento do disposto nesta cláusula por parte do Usuário.

6. CONDUTA DO USUÁRIO

O Usuário reconhece e concorda que qualquer informação, ou qualquer outro material , veiculado publicamente ou transmitido através do NOLAR , será de total responsabilidade do Usuário que o forneceu. Isto significa que cada Usuário é integralmente responsável , e nunca o NOLAR, por todo e qualquer conteúdo que seja disponibilizado através do Serviço. O NOLAR não controla e conseqüentemente, não garante a correção, integridade ou qualidade de tal conteúdo.

É VETADO ao Usuário utilizar o Serviço para:

* transmitir, exibir, enviar, ou de qualquer outra forma, disponibilizar qualquer Conteúdo que seja ilegal, incluindo, mas não se limitando, que seja ofensivo à honra, ameaçador, que seja vulgar, obsceno, preconceituoso, racista ou de qualquer forma censurável, através do Serviço;
* violar direitos das crianças e adolescentes;
7. TÉRMINO

O Usuário concorda que o NOLAR poderá cancelar sua senha, sua conta ou parte dela ou a utilização do Serviço, remover ou descartar quaisquer dados, se acreditar que o Usuário esteja violando ou agindo de forma contrária à letra e ao espírito dos Termos do Serviço. O Usuário concorda que o término de seu acesso ao Serviço, por qualquer razão constante deste Termos do Serviço, pode ocorrer sem uma notificação prévia e reconhece e concorda que o NOLAR poderá desativar ou apagar sua conta e todas as informações e dados constantes nesta conta e/ou bloquear o acesso a tais arquivos ou ao Serviço.

O NOLAR reserva-se o direito de remover de sua base de dados qualquer usuário que apresente uma conduta não ética. O NOLAR ressalta que o principal objetivo do site é oferecer controle operacional sobre empregados domésticos para seus usuários e por esse motivo reserva-se o direito de remover do site quaisquer usuário que não estejam de acordo com o objetivo do site sem que caiba qualquer restituição de valores pagos ao mesmo.

8. RESTITUIÇÃO DE VALORES

Por ser um serviço e não um produto, a compra do Acesso ao NOLAR não é reembolsável, ou seja, o NOLAR não devolverá o dinheiro após o pagamento ter sido efetuado.

9. GARANTIA LIMITADA

O Usuário expressamente concorda e está ciente de que: A. O Serviço é utilizado ao inteiro risco do Usuário. O Serviço é fornecido ao Usuário na forma em que está disponível. O NOLAR, em razão das vedações indicadas acima ao Usuário, não oferece garantias outras além das estabelecidas nestes Termos de Serviço. O NOLAR reserva-se o direito de não prestar assistência ou suporte técnico e jurídico aos usuários do serviço de forma conclusiva ou definitiva.

B. O NOLAR não pode garantir que:
(I) determinados serviços à disposição atenderão às necessidades do Usuário;
(II) que o Serviço será prestado de forma ininterrupta, tempestiva, segura ou livre de erros;
(III) que o resultado obtido pelo uso do Serviço será exato ou confiável;
(IV) que a qualidade de qualquer produto, serviço, informações ou outro material adquirido ou obtido pelo Usuário através do Serviço atenderá às expectativas;
(V) que quaisquer erros serão corrigidos;
(VI) que quaisquer erros no sistema causem ações trabalhistas ao Usuário.

C. Qualquer obtenção de material, por meio de download ou outra forma, durante uso do Serviço, é efetuada ao inteiro risco do Usuário e ao seu livre critério, sendo o Usuário integralmente responsável por qualquer prejuízo causado ao sistema do computador pessoal ou pela perda de dados resultantes do download ou por qualquer outra forma de acesso a tais materiais.

10. AVISOS

Qualquer aviso ao Usuário ou ao NOLAR deverá ser feito através de e-mail. O Serviço poderá, também, fornecer avisos sobre modificações nos Termos do Serviço ou qualquer outra informação por meio da exibição de avisos ou links no Serviço ao Usuário.

11. DISPOSIÇÕES GERAIS

Os Termos do Serviço constituem o acordo integral entre o Usuário e o NOLAR e regerão a utilização do Serviço pelo Usuário, substituindo qualquer acordo anterior entre o Usuário e o NOLAR.

Os Termos do Serviço serão regidos exclusivamente pelas leis brasileiras, e quaisquer questões oriundas deste que não puderem ser solucionadas amigavelmente entre o usuário e o NOLAR, caso levadas a Juízo, deverão ser propostas no Foro da Comarca Central do Rio de Janeiro, com expressa renúncia a qualquer outro, por mais privilegiado que seja, ainda que o usuário tenha domicílio em outra localidade.

No que diz respeito a informações de Usuários do NOLAR. localizado sob o endereço eletrônico www.nolar.com.br, ou de qualquer outro País em que esteja estabelecido, há a necessidade de se buscar no ordenamento jurídico brasileiro os meios legais.

POLITICA DE PRIVACIDADE DO NOLAR

1. INFORMAÇÕES DO USUÁRIO

O NOLAR possui uma política rígida sobre a questão da privacidade on-line. As Informações de Cadastro e algumas outras informações sobre o Usuário estão sujeitas somente ao uso do serviço do atendimento do NOLAR, a publicação de opiniões e testemunhos no site e ao uso do próprio Usuário.

Nossa política de privacidade visa assegurar a garantia de que, quaisquer informações relativas aos usuários, não serão fornecidas, publicadas ou comercializadas em quaisquer circunstâncias. O NOLAR obtém informações dos usuários de duas maneiras: Cadastro e Cookies.

CADASTRO

Para usufruir dos benefícios do site e receber o email de avisos, você precisa se cadastrar no NOLAR. Este cadastro é armazenado em um banco de dados protegido e sigiloso. Qualquer comunicação enviada para seu email será através do NOLAR. Seu email não será divulgado.

COOKIES

O NOLAR coleta informações através de cookies (informações enviadas pelo servidor do NOLAR ao computador do usuário, para identificá-lo). Os cookies servem unicamente para controle interno de audiência e de navegação e jamais para controlar, identificar ou rastrear preferências do internauta, exceto quando este desrespeitar alguma regra de segurança ou exercer alguma atividade prejudicial ao bom funcionamento do site, como por exemplo tentativas de hackear o serviço. A aceitação dos cookies pode ser livremente alterada na configuração de seu navegador.

2. SEGURANÇA DOS DADOS E INFORMAÇÕES

Todos os dados pessoais informados ao nosso site são armazenados em um banco de dados reservado e com acesso restrito a alguns funcionários habilitados, que são obrigados, por contrato, a manter a confidencialidade das informações e não utilizá-las inadequadamente.

Favor reportar qualquer violação dos Termos do Serviço ao atendimento do NOLAR enviando um e-mail para nolar@nolar.com.br